Scaling Multi-Cloud with Infrastructure as a Code por André Rocha Agostinho (SindicoNet/Magnadev) – Nova versão da apresentação revista e ampliada

Na era do DevOps, a operacionalização de serviços na nuvem, cada vez mais, vem sendo automatizada para atender demandas emergentes de negócios a qual exige resposta rápida à mudanças e capacidade em se escalar. Automatizações como CI/CD (Continuous Integration e Continuous Development) permitem em grande parte atender cenários diversos onde é necessário reduzir ou simplesmente liquidar operações manuais de Deployment por meio de passos automatizados intermediados por um agente robô. Em contrapartida, existe a necessidade em se ter o mínimo necessário de infraestrutura como pré-requisito, o que obriga equipes a investirem tempo e esforço na criação desses ambientes, nos quais, em alguns casos, a complexidade é multiplicada pelo uso de serviços distintos de computação na nuvem, a Multi-Cloud. O termo “Infrastructure as a Code” é um assunto emergente o qual trata infraestrutura como código versionado, um asset do projeto onde o seu objetivo não é apenas reduzir esforço operacional mas também poder compartilhar conhecimento e engajar membros de equipes. Esta apresentação tem como objetivo introduzir “Infrastruscture as a Code” assim como o seu potencial para cenários Multi-Cloud.

Cloud Continuous Integration –  A distributed approach using distinct services

André Rocha Agostinho – andre@magnadev.com.br

Em serviços de computação na nuvem a capacidade em compartilhar e disponibilizar serviços, escalar recursos computacionais e distribuir armazenamento de dados e arquivos exige um processo de implantação alinhado à agilidade e escalabilidade. Na era do “DevOps” a integração contínua possibilita um processo automatizado com o objetivo de reduzir o esforço operacional de equipes de desenvolvimento que se empenham em equilibrar entregas com qualidade e reduzir o “Time-to-Market”. Com o crescente aumento de serviços distintos de computação na nuvem, a integração contínua necessita atender diferentes plataformas, o que torna o processo de implantação ainda mais complexo. Este artigo tem como proposta demonstrar uma abordagem de integração contínua distribuída para diferentes tipos serviços de computação na nuvem cobrindo desde a configuração do processo à apresentação dos resultados em ambiente teste.

 

Architecture performance using micro services

José Junior Santana – jose.santana@yaman.com.br

Implementing an inadequate architecture can lead to multiple performance problems, capacity, and unnecessary resource allocation. In this sense, the objective is to present how the use of an architecture oriented to micro services is able to meet diverse needs, from the use in “small projects” to large projects, with a very complex infrastructure. This type of architecture was implemented and tested in the “Predictor” system, and its results in terms of performance, integration with the DevOps methodology and ease of allocation of infrastructure resources show the benefits of it. With this, it was possible to verify how “vulnerable” applications can be if the architectural modeling is ignored or not respected by developers. The great challenge, however, is to avoid duplication of code and also the control of generated artifacts that require great attention and control.

Key words: micro services, DevOps, Predictor, architeture